Limpeza dos aparelhos ortodônticos

Quem recorre a um aparelho ortodôntico quer dentes bonitos e alinhados, uma mastigação perfeita e a fonação em dia. Os acessórios ortodônticos colocados nas superfícies dentárias dificultam a limpeza e funcionam como retentores provocando o acúmulo de alimentos aumentando os níveis de placa bacteriana, principal causador do processo carioso e de problemas gengivais.

Apesar da dificuldade, tanto os aparelhos convencionais colados ou bandados aos dentes, quanto os estéticos, autoligados e linguais (colocados atrás dos dentes), podem ser limpos com uma escova dental macia, de cabeça pequena e sempre com as cerdas retas. “O ortodontista deve fazer um trabalho de educação preventiva desde a primeira consulta, antes mesmo de iniciar o tratamento, pois a má higienização pode comprometer seriamente a saúde bucal”, explica o ortodontista Fabio Leal Braga, do Centro de Estética Oral Paraná.

O dentista alerta que um dos problemas provocados pela falta de uma higienização correta é a inflamação da gengiva, ou seja, a gengivite. O quadro pode avançar para infecções e, em casos mais graves, até a perda do osso do dente. “É difícil que o problema atinja essa fase porque, geralmente, o dentista toma providências quando o paciente faz a manutenção do aparelho”, explica o ortodontista

Outro sério problema gerado pela deficiência na escovação é a formação de manchas brancas (opacidades) ao redor do aparelho. São áreas de desmineralização de esmalte geradas por processos cariosos instalados ao redor das bandas e acessórios ortodônticos por acúmulo de placa. Além dos depósitos de placa, o aparelho parece ser capaz de alterar a microbiota bucal propiciando um aumento do número de bactérias, redução do pH salivar e da placa bacteriana gerando maior incidência de cárie.

Para que o tratamento alcance os resultados esperados é preciso caprichar na higienização bucal. A escovação dos dentes com aparelhos deve ser feita em partes, a cada dois dentes, com movimentos circulares nas partes externa e interna de todos os dentes, ora na região do dente próxima à gengiva, ora sobre os braquetes. Na região onde os dentes entram em contato com os alimentos, o movimento é de vai-vem.

Além da escova comum, o paciente pode optar por outros tipos que auxiliam na limpeza. “A escova unitufo, a interdental e o passa-fio (tipo agulha de costura que adaptada ao fio dental facilita a sua passagem) permitem limpar os dentes de forma mais prática e eficiente”, esclarece o dentista. Outra inovação que veio contribuir para a melhora na higienização e no tempo despendido para a limpeza é o Water Pik. Este aparelho lança jatos d’água fortes e intermitentes através de pontas individuais que o paciente direciona para todas as superfícies do dente.

O sucesso ou fracasso da utilização do aparelho ortodôntico depende de um bom diagnóstico, retornos periódicos ao dentista e cuidados especiais por parte do usuário. A boa higienização dos dentes é a peça-chave para o sucesso do tratamento.

Entre as dúvidas mais frequentes sobre a manutenção dos dentes com aparelhos ortodônticos estão as seguintes perguntas:

1- O aparelho fixo mancha os dentes?

Não. O que pode acontecer é que a falta de higiene bucal provoca um acúmulo de placa bacteriana, principalmente ao redor dos braquetes. Como a placa concentra restos alimentares e microrganismos vivos, vai haver uma deteriorização da superfície do esmalte, provocando manchas brancas ou marrons e, posteriormente, cáries.

2- Como evitar cáries e manter a gengiva saudável no tratamento?

Quem usa aparelho ortodôntico fixo deve ter atenção redobrada quanto à higiene, com controle constante e orientações dadas pelo ortodontista. Já para os aparelhos removíveis, recomenda-se, além da higiene dos dentes, a do aparelho com a mesma frequência, escovando-o todo diariamente com creme dental, para evitar a retenção de placa. Mensalmente, pode deixar o aparelho imerso num anti-séptico bucal por 15 minutos.

3- A alimentação interfere na higiene bucal durante o tratamento?

Sim. A ingestão de alguns alimentos também devem ser restritos durante o tratamento ortodôntico. Recomenda-se evitar refrigerantes, champanhes e vinhos, pois eles oxidam as peças do aparelho e também, dos alimentos duros, como pipoca, gelo, amendoim e alimentos com pedaços de ossos, além dos grudentos (chicletes, balas e caramelos), e se estende até mesmo a certos tipos de frutas, como maçã e pêra (estes alimentos devem ser cortados em pedaços, pois o impacto da mordida pode danificar o aparelho fixo).